17 janeiro, 2007

Eu não presto! ...e voçê?

Apenas uma em cada dez crianças a precisar de anti-retrovirais teve acesso a eles em 2005, embora o custo desse tratamento seja actualmente de 12 cêntimos por dia, segundo um relatório da UNICEF.
Em todo o mundo, em 2005, 780.000 crianças precisavam de anti-retrovirais, mas apenas uma em cada dez teve acesso a esses medicamentos.
Segundo estimam, em 2006, 530.000 novas crianças foram infectadas com o vírus, na maior parte dos casos pela transmissão de mãe para filho que, sem profilaxia, acontece num em cada três casos.
Em todo o mundo, há 2,3 milhões de crianças infectadas com o HIV. Relembro que o custo do tratamento é de 12 cêntimos por dia.
Foi aqui que me lembrei da porcaria de gente que também eu sou. Será que não tenho 60 Euros por ano para ajudar, pelo menos, uma dessas crianças?
Claro que sim, agora só me falta saber como fazer para ter a certeza que esse dinheiro é mesmo utilizado para as ajudar.

9 comentários:

Jorge G - O Sino da Aldeia disse...

Ah!... Quando encontrares resposta segura para a questão que deixaste no último parágrafo, agradeço que me avises!

Aqui há uns anos, soube de fonte absolutamente segura - pelo meu pai - como se processava em Portugal a distribuição de géneros alimentícios e roupas que eram entregues na C.Vermelha...

Um abraço.

Jorge G - O Sino da Aldeia disse...

Ah!... Quando encontrares resposta segura para a questão que deixaste no último parágrafo, agradeço que me avises!

Aqui há uns anos, soube de fonte absolutamente segura - pelo meu pai - como se processava em Portugal a distribuição de géneros alimentícios e roupas que eram entregues na C.Vermelha...

Um abraço.

Outsider disse...

Eu também não presto. Se alguém souber a resposta ao último parágrafo, contem comigo...
Um Abraço.

Rui Martins disse...

como todos, acho eu, também não contribuo tudo o que podia... mas todos os anos aplaco a minha consciência inquieta na:

http://www.unicef.pt/artigo.php?mid=18101116&m=7&sid=1810111611

Esteva disse...

Olá, Kaos! Não tenho comentado mas tenho espreitado e gostado - como sempre, tanto dos textos quanto dos bonecos.

Quanto à questão que colocas: eu sugiro os médicos do mundo, que já trabalham nessa área em África, parece-me que trabaham bem. O sítio deles na net é este: http://www.medicosdomundo.pt/

Em relação a termos a certeza de que o nosso dinheiro é gasto naquilo q efectivamente pensamos, eu penso que ter essa certeza é difícil. Mas, ainda que muito se perca pelo caminho, algum há-de chegar ao seu destino e isso já é muito bom, do meu ponto de vista. Isso não nos deve impedir de dar, deve-nos obrigar é a estar mais atentos às organizações a quem damos.

Beijinhos e continua acutilante nos teus bonecos e nos teus textos que eu gosto!

p.s. jorge, homem do sino, o q faz a cruz vermelha às dádivas q recebe? conta lá.

tb disse...

O meu método é ajudar quem está logo ao estender do meu braço...e não me pesa a consciência por isso, nem por haver no mundo essa situação.
jinhos

jlf disse...

O Jorge pôs o dedo na ferida!

Eu também não presto... Mas o mais dramático é que não acredito nas instituiçoes intermediárias ou nos seus representantes em Portugal...

JL

Anónimo disse...

é sempre esse o problema, a dúvida que fica se o dinheiro que usámos para realizar uma boa acção, para contribuir para uma qualquer causa, chega a quem de direito! é que infelizmente há muita marosca por aí...

Anónimo disse...

Tudo bem. Mas você não tem cedilha...!